Tomate Itaipava tem a produtividade como grande diferencial

Tomate Itaipava tem a produtividade como grande diferencial

11 maio de 2020

O Especialista em Tomates e Pimentões da Agristar, Thiago Teodoro, conta que o tomate Itaipava foi selecionado na estação experimental da Agristar em Ituporanga (SC) e aprovado no ano de 2014 para ser um produto comercial e começar a ser vendido aos produtores.

 A produtividade é um grande diferencial da variedade, pois possui um excelente pegamento de frutos nas primeiras pencas, que se estende durante todo seu ciclo. "A qualidade de fruto e firmeza trazem total segurança ao agricultor para comercializar e enviar seu produto para todas as regiões do Brasil, além de apresentar ótima coloração, qualidade e excelente pós-colheita (durabilidade na banca)", explica Thiago. 

Em Santa Lúcia do Piaí, região de Caxias do Sul (RS), está o produtor Joel Bernardi, que planta o Itaipava há cerca de quatro anos em estufa. Ele é atendido pelo consultor técnico de Vendas, Docimar Macagnan, que fala sobre o Itaipava na região. "O Itaipava se destaca nesse contexto, porque traz uma supremacia perante outras variedades de tomateiro, alcançando aproximadamente 20% do mercado regional na Serra Gaúcha e se sobressaindo muito em cultivo protegido, em que se adaptou bem e chega a estar presente em 70% das áreas com esse sistema de cultivo. Além disso, o uso de porta enxerto vigoroso potencializa ainda mais a produtividade e o desempenho do material". 

Docimar explica ainda que a janela de plantio se estendeu em função do uso das estufas, que se inicia em meados de agosto e vai até final de janeiro do ano subsequente. O período de colheita é mais longo que no campo aberto, que pode iniciar na segunda quinzena de novembro e finalizar em maio/junho isso se unirmos todos os plantios. "Desta forma ficamos poucos meses sem a produção da hortaliça, isso fortalece o sistema de cultivo que está aumentando na região".

A produção em sua grande parte vai para o Ceasa de Porto Alegre, mas também tem sua importância no abastecimento de mercados fora do estado.


O Itaipava também tem se destacado em outras regiões produtoras do Brasil, entre elas Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Ceará. Confira:


Leonel Clemente - Coordenador Técnico de Vendas - MG, RJ, ES e Sul da BA

"O Itaipava é um material com excelentes qualidades: resistência ao vírus vira-cabeça (TSWV) e a nematoides, boa tolerância à doença do fungo Verticillium, além de alta produtividade, excelente pegamento de frutos nas primeiras pencas, alta qualidade, tamanho, firmeza. É plantado em regiões onde não se tem alta pressão da doença Fusarium raça 3, considerada limitante na produção de tomates nos estados de Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.  No norte Capixaba começamos um trabalho com os nossos parceiros e produtores da região de Linhares (ES) e o produto se destacou pela sua qualidade e produtividade de frutos em climas adversos. Tanto que os produtores relataramm que hoje é o material mais adaptado para o clima da região produtora e que gostaram e acertaram a condução e o manejo de produção do tomate Itaipava. Acredito que o Itaipava aumentará a participação em todas regiões produtoras de tomates, pois é um produto de boa aceitação pelo produtor, comprador e consumidor que exige alta qualidade nos mercados".

Lucilano Gomes – Coordenador Técnico de Vendas Topseed Premium Nordeste

"O mercado de tomate salada na Serra da Ibiapaba (CE) registrou em torno de 6 milhões de pés no ano 2019, sendo que o tomate híbrido Itaipava conquistou alta participação neste percentual. Tudo isso devido ao seu bom padrão de fruto e excelente pós-colheita para viagens de longa distância. O seu posicionamento de transplantio na região é iniciado em meados de abril e termina em setembro. A produção da região abastece as capitais Fortaleza (CE), Teresina (PI), São Luiz (MA) e Belém (PA), e suas áreas metropolitanas. O Itaipava F1 se adaptou muito as condições da Serra do Ibiapaba por apresentar diferenciais que incluem, adaptabilidade e rusticidade a diferentes tipos de manejos, além de agregar resistência ao vira-cabeça, precocidade, bom tamanho de frutos com excelente firmeza, proporcionando ao agricultor certeza e garantia de produtividade  em sua lavoura".