O prazer extraordinário das pimentas

O prazer extraordinário das pimentas

9 novembro de 2020

Mais de dois bilhões e meio de pessoas em todo o mundo olham a cada dia com um misto de cobiça e medo para aqueles frutinhos vermelhos, verdes, amarelos ou cor de chocolate. Sabem que, escondidas nas sementes, estão sensações e prazeres tão fortes quanto o de despencar de uma montanha russa num parque de diversões ou a euforia de um maratonista após correr os intermináveis 42.195 m.


O relacionamento entre a humanidade e a pimenta tem características muito particulares. É a prova de como as plantas podem ser inteligentes e usar outros seres vivos para conseguir se propagar e se perpetuar. A pimenta "escolheu" o ser humano como seu principal vetor há uns 8 mil anos. Tanto que não é apreciada por outros animais — além de nós, só as as aves comem pimentas, mas elas não tem receptores para sentir o ardor.


Mais prazeroso ainda que comer a pimenta é cultivar a sua variedade favorita — ou várias delas. Cada pessoa tem um nível de sensibilidade diferente, por isso a linha de pimentas da Topseed Garden conta com 27 variedades para você cultivar. Há desde a pimenta-biquinho, para quem gosta do sabor mas não quer sentir ardor algum, até a poderosa Bhut Jolokia, uma das mais picantes do mundo, que pode ser um desafio e tanto para aquele amigo que gosta de se exibir na hora das pimentas.


As pimentas falam também das culturas de onde provém. A habanero, com seu sabor pra lá de marcante, é uma das favoritas dos mexicanos, e a Topseed tem até uma versão com frutos cor de chocolate. A tabasco, consagrada no molho vendido pronto, tem um charme todo especial se cultivada no seu canteiro. Para dar um tom de brasilidade, vale plantar a murupi, uma pimenta típica do Amazonas e do Pará que é considerada uma das mais fortes do país e que tem, entre outras propriedades, como a vitamina A, B1, B2, a ação no cérebro estimulando a produção de endorfina, o hormônio responsável pela sensação de bem estar.


Qualquer que seja a sua escolha, cultivar pimentas a partir de sementes é sempre a opção mais prazeirosa. Em casa, o melhor é semear diferentes variedades (não se esqueça de marcar cada uma delas) para deixar o jardim mais bonito e atender aos diferentes gostos das pessoas da família ou dos amigos.


A pimenta é bem pouco exigente em termos de cultivo: basta um solo solto, com um pouco de esterco e um punhadinho de NPK. Pode ser também cultivada em vaso com enorme sucesso. Nas regas, é só tomar o cuidado de não encharcar. A colheita para as mais precoces, como a murupi, se dá em 90 dias e, nas mais tardias, em 120 dias.


Pelas suas características, os canteiros devem ser renovados de vez em quando, para assim garantir o prazer de comer esse frutinho que mais de dois bilhões de pessoas degustam a cada dia. A diferença é que você não vai apenas sentir o prazer de comer, mas também a enorme alegria de levar à mesa o tempero que você mesmo plantou e colheu.


Para conhecer nossa linha de sementes, CLIQUE AQUI.

Produtos relacionados a notícia