x

Hidroponia e gotejamento: técnicas otimizam a utilização da água

Hidroponia e gotejamento: técnicas otimizam a utilização da água

21 março de 2019

Em tempos de conscientização do uso da água, utilizar as técnicas de hidroponia e gotejamento são fundamentais para quem busca sustentabilidade, além de rentabilidade nos negócios. As práticas eficientes, que são sistemas agrícolas que também auxiliam na economia da água, apresentam resultados satisfatórios aos agricultores, devido a uma maior produtividade se comparado aos sistemas tradicionais. E isto se deve a múltiplos fatores. No caso da hidroponia, temos o aumento da proteção da cultura a fitopatógenos, diminuição no uso de agrotóxicos, uso racional da água, podendo ser 70% mais econômico do que outros sistemas, devido à diminuição no uso de insumos e a possibilidade de plantio fora de época. 

Estima-se que o Brasil possua uma área entre 50 mil e 70 mil hectares de cultivo hidropônico, técnica que pode reduzir o consumo de água em até 90%, em alguns casos, se comparado ao sistema convencional. O cultivo de alface, por exemplo, utiliza no sistema convencional cerca de 25 litros de água por pé da planta. Já no sistema hidropônico, o mesmo cultivar utiliza cerca de 4 litros. Entre as principais culturas que utilizam esta técnica estão as folhosas como alface, rúcula, agrião, almeirão, alguns temperos como salsa e coentro e eventualmente tomates.Com o sistema de gotejamento, o produtor pode reduzir o consumo de água, os custos de produção, além de aumentar a produtividade nas lavouras. A prática permite que as plantas sejam irrigadas gota à gota. Os gotejadores ficam na superfície junto ao pé da planta e um temporizador aciona o sistema de irrigação de forma intermitente, podendo ser de 2 a 3 vezes ao dia. Esta técnica, muito utilizada em culturas como tomate, pimentão e pepino, está associada também à proteção do solo, pois diminui a evaporação da água e a proliferação de ervas daninhas, garantindo a redução do consumo de água em até 80%, em comparação com outros tipos de irrigação. 

A Agristar e a sustentabilidade - Na matriz em Santo Antônio de Posse (SP), desde outubro de 2014 funciona a "Estação de Tratamento de Resíduos" da Agristar onde, em média, 15 mil litros de água proveniente do tratamento de sementes e da lavagem de equipamento, maquinários e embalagens são tratados por mês. Toda a água proveniente da estação é reutilizada na irrigação dos campos experimentais e ajuda no abastecimento da unidade. "Esta ação gera economia e evita impactos ambientais", explica o Diretor de Operações da Agristar do Brasil, Silvio Valente.


Confira abaixo as variedades Topseed Premium que são indicadas para hidroponia.

Produtos relacionados a notícia