Book Navigation

Pesquisas desenvolvidas na UEPB potencializam cultivo de hortícolas

Pesquisas desenvolvidas na UEPB potencializam cultivo de hortícolas

1 outubro de 2018

Três pesquisas desenvolvidas por alunos e professores do Centro de Ciências Humanas e Agrárias (CCHA) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), no Câmpus IV, têm ajudado na restauração da horticultura na microrregião de Catolé do Rocha. A pesquisa "Solaplant", coordenada pelo professor Evandro Franklin de Mesquita, do curso de Licenciatura em Ciências Agrárias da UEPB, visa a restauração da horticultura da região, a exemplo do quiabo, abobrinha, da batata-doce, entre outras.

Os primeiros resultados da pesquisa já forneceram dados relevantes para a região. Atualmente, o grupo está desenvolvendo três projetos de pesquisa com as culturas da melancia, alface e tomate. A pesquisa da melancia estuda lâminas de irrigação e Etefon; a de alface, lâminas de irrigação e cores de agrotêxtil; e o experimento de tomate avalia lâminas de água e silício. De acordo com o professor Evandro, no Nordeste, especificamente no Estado da Paraíba, há a necessidade de adoção de técnicas agronômicas eficazes para o convívio sustentável no semiárido.

Redução de Área Plantada

Apesar de fazer parte do semiárido nordestino, no município de Catolé do Rocha, devido à escassez hídrica nos anos de 2014 a 2017, houve uma diminuição na área plantada e de produtividade na microrregião de Catolé do Rocha. Professor Evandro Franklin explica que o estudo destas culturas tem comprovado a eficiência de utilizá-la de maneira racional para que possa ser mais uma fonte de renda para os agricultores desta microrregião.

A evaporação de referência na microrregião de Catolé do Rocha oscila entre 7 e 10 mm/dia, com isso, a utilização de cores agrotêxtil é a introdução de nova tecnologia com a finalidade de minimizar as perdas de água por evaporação. O silício é um elemento mineral que tem despertado interesse por parte dos pesquisadores devido aos benefícios que este elemento traz a algumas culturas agrícolas. Porém, necessita de estudos para averiguar sua importância e essencialidade para a nutrição mineral da abobrinha em regiões semiáridas.

O método de irrigação utilizado na pesquisa é o localizado, com vazão de 1,2 litro/hora, com sistema por gotejamento, que se caracteriza pela eficiência do uso da água e consiste em aplicar água no solo próximo ao sistema radicular da cultura, em pequenas pressões e vazões, mas com elevada frequência. Numa região em que a evaporação de referência pode chegar até 12 milímetros por dia, o uso da irrigação localizada é uma necessidade para a agricultura, o que significa menor quantidade de água evaporada da superfície do solo e, consequentemente, que a quantidade de água aplicada seja maximamente utilizada pela cultura.